Mosquitos: Doenças, Prevenção e Controle

Mosquito é um termo utilizado para nomear diversas espécies de insetos voadores. As fêmeas destes insetos em sua maioria sugam sangue de outros animais para que seus ovos se tornem viáveis. Ao picar diversos animais ou pessoas para sugar sangue, podem ser vetores de doenças como a Malária, Febre Amarela, Leishmaniose, Dengue, Chikunguya, entre outras. Sendo assim, o controle de mosquitos em residência, condomínios e empresas em geral torna-se algo de grande necessidade.

Dentre os gêneros podemos citar o Aedes, Anopheles, Culex, Hemagogus e Phlebotomus.

Algumas doenças cujos causadores são mosquitos são: Dengue, Febre Amarela, Leishmaniose, Malária.

Prevenção e controle

Os objetivos de qualquer programa de controle de mosquitos devem ser: evitar picadas de mosquito, manter as populações a um nível aceitável, minimizar contato entre mosquito e vertebrados, e reduzir a fertilidade das fêmeas. Todas estas medidas visam minimizar o desconforto e os efeitos negativos da picada e perda de sangue e interromper a transmissão de patógenos.

Eliminar locais que acumulem água, propiciando a reprodução de mosquitos.

O que mais demanda trabalho é a redução das áreas onde os mosquitos depositam os ovos e desenvolvem as larvas. Isto inclui principalmente, alteração do nível de disponibilidade ou eliminar a água. Por exemplo, colocar bolas de plástico flutuando na superfície da água das áreas utilizadas pelos mosquitos para depósito dos ovos e desenvolvimento de suas larvas tem sido muito eficaz. No entanto, é óbvio que este é um quadro útil em uma escala pequena.

O ideal é eliminar o acúmulo de água em recipientes (naturais e artificiais) ao ar livre, como pneus de veículos, vasos, etc.